A demissão humanizada, como o próprio nome indica, consiste no encerramento de contrato de trabalho feito sob uma perspectiva mais empática, humana e confortável.

Quando um profissional precisa ser demitido, isso nem sempre se deve a problemas de desempenho, atrasos, ausências, entre outros fatores relacionados.

Em muitos casos, desligamentos ocorrem pela necessidade dos negócios em diminuir despesas ou mesmo em enfrentar crises econômicas — como foi o caso da atual pandemia de Covid-19.

Nessas situações, o ideal é evitar constrangimentos desnecessários. Assim, é possível garantir que o relacionamento entre as partes se mantenha amigável e que o indivíduo desligado entenda os fatores que levaram a essa decisão.

Se preferir, você também pode ouvir o post. É só clicar no player.

No contexto de isolamento social, esse tipo de abordagem pode ser desafiadora, já que muitas vezes é necessária a prática da demissão humanizada à distância.

A ideia de humanizar os encerramentos de contratos trabalhistas e evitar que eles causem desgastes psicológicos ganhou espaço no Brasil na década de 1990. Desde então, sua relevância só cresce, pois é unânime entre empreendedores e colaboradores que esse cuidado é essencial para evitar atritos e situações sensíveis.

Quer saber mais sobre demissão humanizada e como ela pode amenizar os possíveis desligamentos em sua empresa? A seguir, entenda melhor suas vantagens, indicações e meios de realização!

Quais os benefícios da demissão humanizada?

Nunca é fácil comunicar a uma pessoa que ela não fará mais parte da organização em que trabalha.

Aliás, quando alguém é demitido, até mesmo seus colegas que permaneceram na empresa podem sofrer com consequências negativas. Afinal, eventuais conflitos causam incertezas e insatisfações entre todos.

Desligamentos podem ser sensíveis e causar impactos profundos no ambiente organizacional. Por isso, a demissão humanizada é imprescindível.

Com ela, todos os colaboradores se sentem mais seguros e confiantes no seu negócio. Além disso, o clima para trabalhar é melhorado e a própria percepção de valor dos profissionais é aumentada.

Para as empresas e seus RHs, a demissão humanizada representa a garantia de que passivos trabalhistas serão raros e também reforça sua responsabilidade social.

Além disso, quando todas as partes percebem e valorizam uma abordagem mais próxima, empática e tranquila por parte da organização, a tendência é que o engajamento seja maior e mais positivo entre todos!  

Em poucas palavras, com a demissão humanizada, você pode amenizar as adversidades de quem é desligado. Assim como, consegue preservar a satisfação de quem seguirá na empresa e ainda melhorar o ambiente e as relações de trabalho.

Quando e por que praticar a demissão humanizada?

Para que a demissão humanizada ocorra da melhor maneira possível, ela já deve fazer parte da cultura organizacional da empresa.

Isso significa que a abordagem empática e humana deve estar enraizada nos valores do negócio, de modo que seja evidenciada sempre que algum desligamento se faça necessário.

Entre os casos em que a demissão humanizada é mais indicada, destacam-se:

Para valorizar o profissional que precisou ser demitido

Como mencionamos anteriormente, em muitos casos, as demissões não são motivadas por erros dos colaboradores, mas sim por necessidades das empresas.

Dessa forma, a demissão humanizada garante transparência para que o indivíduo entenda as causas do desligamento e não se sinta injustiçado pela decisão.

Além disso, o profissional sentirá que sua trajetória foi valorizada até o momento da dispensa e evitará que conflitos marquem negativamente sua saída.

Para a empresa, isso garante que o clima no ambiente de trabalho se mantenha positivo e que casos de processos trabalhistas sejam reduzidos.

Já o profissional manterá sua autoestima em relação à sua carreira e terá melhor incentivo para buscar por recolocação no mercado.

Para manter bons relacionamentos profissionais

No mesmo sentido do item anterior, com valorização e transparência, é possível garantir um bom relacionamento com os indivíduos mesmo depois de seu desligamento.

Assim, a demissão humanizada evita que a empresa sofra com percepções ou comentários negativos. Logo, ganha espaço para destacar a sua empatia e responsabilidade com as pessoas.

Com isso, mais que elevar a satisfação de quem permanece no negócio, a prática também aumenta a percepção de que a organização valoriza suas relações e as pessoas que fazem parte dela.

Isso contribui para a retenção de talentos, para o engajamento profissional e também com o relacionamento daqueles que passaram pela demissão humanizada.

Dessa forma, quando o negócio superar as crises que motivaram os desligamentos, as portas podem continuar abertas para eventuais recontratações ou mesmo para novas parcerias com antigos colaboradores, como consultorias ou projetos pontuais.

Para diminuir os riscos de problemas legais

Quando alguém se sente injustiçado com algum desligamento, é comum que essa pessoa busque por motivos que amparem conflitos legais.

Além de afetar a imagem da organização e desgastar o relacionamento entre as partes, esse tipo de situação também gera enormes gastos e dores de cabeça.

Por evitar descontentamentos, inconformidades e desgastes emocionais, a demissão humanizada é fundamental para que passivos desse tipo não ocorram.

Com ela, todo o desligamento é mais amigável e transparente. Assim, o profissional percebe que é mais vantajoso manter uma boa relação e buscar por recolocação profissional do que enfrentar longas disputas na justiça.

Como aderir ao processo presencialmente e na demissão humanizada à distância?

Para aderir à demissão humanizada, seja ela presencial ou demissão humanizada à distância, alguns cuidados são fundamentais.

Confira quais são os principais deles e como eles podem fazer a diferença:

Desenvolva uma comunicação transparente

Mais que comunicar a demissão de maneira amigável, as empresas precisam ser transparentes e destacar todas as causas que levaram à decisão de desligamento.

Como as demissões atingem diretamente o emocional dos envolvidos, isso é fundamental para que as pessoas se sintam valorizadas e percebam que a decisão não foi pautada em aspectos pessoais.

Sendo assim, seja sempre muito claro, atencioso e explique todos os trâmites do desligamento. Além disso, evidencie os direitos do indivíduo e a gratidão da organização pelas atividades realizadas até o momento.

Planeje o processo

Antes de praticar a demissão humanizada, planeje como ela será feita com cada colaborador.

De acordo com o perfil de cada pessoa, desenvolva uma abordagem cuidadosa e que também oriente cada indivíduo quanto ao seu futuro no mercado.

Apresente informações concretas sobre a sua decisão, destaque os pontos positivos de cada pessoa desligada e garanta que toda a comunicação seja feita de forma que valorize a jornada do profissional na organização.

Seja humano e pratique empatia

Em reforço às duas dicas anteriores, lembre-se de planejar e desenvolver a demissão humanizada sempre com muita empatia.

Isso significa colocar-se no lugar do outro, encontrando maneiras para que o desligamento seja feito da forma mais positiva e menos traumática possível.

Reconheça os feitos do profissional

Também no sentido de planejar sua comunicação e garantir que ela seja empática, não se esqueça jamais de reconhecer tudo aquilo o que a pessoa fez na organização.

Se a base da demissão humanizada inclui uma boa comunicação e a capacidade de relacionamento, utilize-as para que o profissional tenha uma visão positiva da jornada que percorreu até o desligamento.

Assim, todo o processo gerará menos descontentamentos e o indivíduo não terá sua autoestima afetada.  

Traga soluções úteis ao profissional

Por fim, faça com que a demissão humanizada também gere soluções úteis à pessoa que está sendo desligada da empresa.

Para isso, você pode oferecer:

  • orientações sobre o saque de valores referentes ao contrato de rescisão;
  • disponibilizar apoio psicológico;
  • treinamentos sobre carreira;
  • entre outras soluções que ajudem o antigo colaborador em sua nova jornada.

Indicações para outras empresas e cartas de recomendação também são excelentes alternativas. Com elas, mais que contribuir para a recolocação do indivíduo, você também evidencia seu valor e reconhece seus feitos, no sentido do que foi abordado anteriormente!

Vantagens para todos!

Com todos os pontos mencionados até aqui, podemos concluir que esse tipo de desligamento, mesmo na demissão humanizada à distância, é capaz de proporcionar vantagens para todos os envolvidos.

Isso significa que a demissão humanizada, pautada na preocupação e empatia com os indivíduos, deve fazer parte da cultura de qualquer negócio!  

Para viabilizar esse tipo de prática, é papel do RH ter uma base sólida para a tomada de decisões.

Só assim é possível determinar se as demissões são mesmo estritamente necessárias, quais ações podem evitá-las e quais as justificativas para casos em que desligamentos são inevitáveis.

Com os benefícios do Ahgora Timesheet, os profissionais de Recursos Humanos podem identificar situações como:

  • custos invisíveis;
  • desempenho de determinadas equipes;
  • entre outros fatores indispensáveis para avaliar a organização.

Com ele, a demissão humanizada é favorecida, desde o levantamento de fatores que levam à sua decisão, até as práticas que garantem que sua operacionalização seja a melhor possível!

Quer saber mais? Então clique aqui para conhecer todos os detalhes sobre o Timesheet e os fatores que o tornam indispensável para a prática da demissão humanizada e outras funções de suma importância para o RH! 

Compartilhe

Leave your comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *