As mudanças causadas pela Transformação Digital impactam fortemente o comportamento dos consumidores. Como consequência disso, muitos negócios precisam se adaptar a uma nova série de demandas e mudar a forma como pensam e operam. Essas alterações chegam ao RH e, cada vez mais, é necessário ao setor desempenhar suas atividades com foco em performance financeira.

Para que isso ocorra, a área deve passar por importantes reestruturações.

Neste post, veremos as razões dessa tendência e como utilizá-la para transformar o RH em um dos propulsores de desempenho da empresa em geral. Continue lendo!

Performance financeira e a Indústria 4.0   

Para analisar as possibilidades que se abrem ao RH neste momento, é preciso entender a chamada Indústria 4.0. Isso porque essa maneira de ver e gerir os mercados exige um novo modelo de negócios.

O formato é caracterizado por novos tipos de administração e um olhar mais estratégico, mas também passa diretamente por mudanças na gestão de pessoas.

A Indústria 4.0, ou Quarta Revolução Industrial, descreve a combinação entre sistemas físicos e digitais. Com isso, grande parte dos processos passa a ser automatizada, a partir de tecnologias como Inteligência Artificial, Cloud Computing e Big Data.

Inclusive, sensores e softwares integram ambientes tanto físicos quanto virtuais, otimizando a capacidade produtiva e aumentando drasticamente a precisão nos processos.

Os 5 princípios da indústria 4.0

  1. Operação em tempo real – Os dados são tratados de maneira instantânea.
  2. Descentralização da tomada de decisões – Tanto na equipe, quanto na automação de processos via Machine Learning e Inteligência Artificial.
  3. Virtualização – Com o uso de sensores e IA, são feitas cópias virtuais das fábricas.
  4. Modularização – Criação de produtos, de acordo com demandas e processos.
  5. Internet of services – Gestão e produção orientadas aos serviços.

O que é RH 4.0 e como ele pode impactar o seu negócio?

De forma resumida, o RH 4.0 é o setor adaptado a atender todas as mudanças econômicas e industriais. Elas podem ser inúmeras e profundas, obrigando a gestão de pessoas a cada vez mais ser orientada para a performance financeira.

As recentes práticas de negócio exigem profissionais com novas habilidades e ferramentas. Esse é o primeiro impacto para um RH estratégico. Ele deve estar preparado para suprir as demandas das empresas. E, mais do que isso, precisa estar pronto para as alterações em ritmo acelerado nos perfis buscados.

Com a tendência de ciclos de alterações menores, o RH deve ser ainda mais determinante na formação de colaboradores com capacidade técnica para atuar nessas atividades. As demandas somadas exigirão competência, flexibilidade e inovação na área.   

Outro ponto de atenção é a retenção de talentos. Alguns setores devem elevar as taxas de emprego nos próximos anos. Enquanto isso, certas qualidades serão mais valorizadas, como skills multidisciplinares. Nesse cenário, os colaboradores podem tornar-se mais disputados, e políticas de retenção serão mais importantes do que nunca.

Além disso, as métricas e os custos com a gestão de pessoas devem fazer parte do dia a dia de qualquer profissional que queira manter-se ou ingressar no departamento.

Como estruturar a área de RH que gera lucro?

Já sabemos que a organização do trabalho passará por transformações e que o setor deve estar preparado para desempenhar um papel fundamental no atingimento dos objetivos da organização. Mas como estruturar o setor para a performance financeira?

A resposta está na Indústria 4.0. Os mesmo fatores que estão revolucionando inúmeros mercados são capazes de aparelhar o novo RH. Com eles, é possível dar os primeiros passos para reestruturar o setor de uma empresa.

Saiba como desenvolver as skills do seu time e orientar o RH na gestão da qualidade:

Investimento estratégico em automação

A modernização do setor é um ponto indispensável. RH e TI devem andar cada vez mais juntos para que o setor passe por um processo de desburocratização. Para isso, é preciso automatizar todas as atividades possíveis, por meio da descentralização da gestão e de plataformas online.

A Inteligência Artificial, mineração de dados e Machine Learning também são importantes, pois conseguem otimizar os processos com o mínimo de intervenção humana.

Redução de custos

Quando o assunto é performance financeira, é preciso estar atento aos custos que podem ser reduzidos. O investimento em tecnologia e automatização costuma ser financeiramente eficiente a longo prazo, mas existem outras formas de otimizar a relação custo x benefício. Um exemplo é a aposta em novos modelos de trabalho, como o home office.

Métricas e indicadores de produtividade

Os KPIs são os principais indicadores de desempenho de um time ou organização. Quando se trata do RH, eles costumam se referir a resultados como rotatividade, custos com folha de pagamento e retenção de talentos.

Esses dados são importantes hoje e só devem crescer em relevância, sobretudo ao falar em desempenho financeiro. Com eles, é mais simples determinar e controlar a manutenção da produtividade diária.

Alocação eficiente de tempo

A tecnologia permite registrar o tempo dedicado e saber, com precisão, a rentabilidade de cada atividade. Assim, você sabe para onde vai o tempo do time e prioriza o que realmente tem potencial para gerar valor.

Dados como base na tomada de decisões

Dados consolidados podem ser o melhor ponto de partida para entender as situações que podem ocorrer em um RH. Além disso, são extraídas deles as indicações de qual o melhor caminho a ser seguido para a resolução de problemas.

A utilização de data-driven oferece as melhores alternativas para projetar o futuro e diminuir a subjetividade no setor, princípios básicos da performance financeira.

Você sabia que algumas ferramentas geram indicadores de RH em tempo real?

Liderança voltada para o desempenho 4.0

É primordial que as lideranças estejam alinhadas estrategicamente aos objetivos de toda e qualquer empresa. E, inclusive, que estejam conectadas às novas tecnologias e preparadas para atuarem dentro de uma nova realidade, com constantes mudanças.

Isso permite, além de maior assertividade nos processos, a descentralização do RH.

Quer saber por que a descentralização do RH é importante? Leia aqui.

Agora, você já sabe como a Indústria 4.0 pode impactar o seu RH e quais são os primeiros passos para torná-lo mais estratégico. Colocando, assim, a performance financeira como o foco da gestão de pessoas. Quer saber mais sobre RH do Futuro e como a tecnologia pode transformar o papel do setor no desenvolvimento dos negócios? Continue lendo o blog da Ahgora.

Compartilhe