Existem cientistas e programadores trabalhando todos os dias no desenvolvimento de novas tecnologias. O objetivo sempre é facilitar a vida das pessoas e das empresas, entregando instrumentos que antes nem eram imaginados. É assim que funciona a inovação disruptiva, que chega para quebrar os paradigmas existentes.

Em relação ao RH, consiste no desenvolvimento de sistemas que são capazes de tornar a rotina muito mais eficiente através de automações, como por exemplo, da gestão de ponto eletrônico. Hoje, por exemplo, assim que o colaborador faz o seu registro no sistema, a informação passa a fazer parte da folha de pagamentos. Isso é algo entregue pelo Pontoweb.

A inovação disruptiva pode contribuir com o modelo HCM (Human Capital Management ou Gestão Capital Humano), que consiste em um conjunto de práticas do setor de Recursos Humanos. Afinal, neste caso o objetivo da tecnologia é melhorar a performance organizacional, permitindo que o RH tenha uma atuação mais precisa.

A inovação disruptiva ou tecnologia disruptiva é um termo que foi criado durante a década de 1990, por Clayton M. Christensen, com a publicação do livro “O Dilema da Inovação”. Desde então, muita coisa mudou e várias ferramentas modernas foram lançadas, tanto para as pessoas quanto para o setor corporativo.

O que é inovação disruptiva?

A inovação disruptiva geralmente é proporcionada por uma nova tecnologia, que é capaz de transformar radicalmente um mercado ou setor existente. Então, é algo que acontece por meio da simplicidade, conveniência e acessibilidade. Assim, é ótima para as áreas que estão defasadas e possuem apenas mecanismos antigos.

Ao falar sobre este assunto, um dos exemplos mais clássicos para citar são os computadores pessoais, que um dia já foram disruptivos. Isso aconteceu entre as décadas de 1970 e 1980, nos Estados Unidos, mas os PCs não eram tão bons. Aos poucos foram melhorando, tornando-se mais acessíveis e menores, até chegar ao que temos hoje.

Em relação ao departamento de Recursos Humanos, a procura por sistemas de gestão de pessoas está crescendo, assim como a digitalização do RH. Neste caso, a finalidade é criar processos e estratégias, que fogem ao padrão convencional, proporcionando novas práticas para os desafios do setor.

Elementos que fazem parte da disrupção

A inovação disruptiva é formada por 3 elementos, que servem como pilares para que algo realmente seja considerado disruptivo. Portanto, para receber essa classificação é necessário que o novo produto ou instrumento tenha estas características:

Acessibilidade: é importante que o sistema seja adotado com facilidade, tanto em relação ao preço quanto na usabilidade de suas funções. Contudo, é normal que um produto seja lançado por um valor absurdo e anos depois o custo caia bruscamente.

Conveniência: as inovações são disruptivas quando podem solucionar problemas reais. Entretanto, algumas vezes os novos produtos enfrentam restrições e diversos obstáculos. Por exemplo, os sistemas alternativos de ponto eletrônico foram regulamentados somente em 2011.

Simplicidade: o material apresentado não deve apenas entregar uma boa possibilidade, é importante que seja fácil de usar. Então, é algo que facilita a aceitação e aumenta o seu potencial disruptivo.

De fato, é essencial que os gestores estejam abertos para novas propostas que surgem a todos os instantes. Não devem focar apenas em uma área ou problema. E isso vale para o setor de RH, onde as novas tecnologias são capazes de auxiliar na superação de diversos gargalos.

Como o RH pode ser beneficiado pela inovação disruptiva?

Uma inovação disruptiva vem com o objetivo de acabar com aquilo que acreditamos ser o certo. É um conceito que apresenta novas maneiras de fazer negócios e de conduzir situações. Assim, é preciso olhar primeiro para o departamento de RH e identificar o que está sendo feito atualmente.

É essencial que os profissionais do RH tenham a capacidade de se reinventar, desenvolvendo novas competências para encarar os desafios que aparecem no setor. Afinal, mesmo que a empresa invista em tecnologia disruptiva, os resultados não vão aparecer caso os profissionais continuem pensando da mesma maneira.

O RH pode ser beneficiado de algumas maneiras, ganhando novas ferramentas para usar em processos comuns. Entenda como o setor pode ser beneficiado:

  1.     Melhorias no processo de recrutamento e seleção;
  2.     Novos canais para a comunicação interna;
  3.     Gestão de documentos importantes;
  4.     Avaliação de processos na palma da mão.

Em suma, a ideia principal é criar algo completamente novo, que seja mais eficiente e que gera resultados mais assertivos. Dessa forma, a satisfação tende a ser maior, não apenas no Departamento Pessoal, mas em todos os coladores. Porque sabem que estão atuando em uma empresa moderna.

Em relação ao HCM, a Ahgora trabalha com o desenvolvimento de aplicações capazes de tornar mais assertiva a gestão de pessoas. Então, com o uso de um software adequado é possível monitorar uma série de indicadores. Assim, o Ahgora Analytics, por exemplo, permite identificar se os objetivos da empresa estão sendo cumpridos.

Quais impactos podem ser percebidos na empresa?

A inovação disruptiva no RH pode trazer uma série de benefícios para a organização. Com isso, é possível que os profissionais do Departamento Pessoal passem a atuar de forma estratégica, o que é interessante para melhorar as metas e objetivos do negócio.

  •       Melhora na produtividade interna;
  •       Redução na taxa de turnover;
  •       Otimização de processos de área;
  •       Ganho de competitividade;
  •       Mais tempo para questões importantes.

Todos os envolvidos na operação podem ser beneficiados com a tecnologia disruptiva. A Internet das Coisas, por exemplo, é uma destas ferramentas, que já pode ser usada nas empresas de diferentes maneiras, como para os registros de ponto. Então, faz com que a empresa possa aproveitar o sistema de variadas maneiras.

Como se adaptar ao RH disruptivo?

É importante entender que o RH disruptivo não é algo que será construído de uma hora para outra. Então, é importante que seja algo trabalhado a longo prazo, para passar a fazer parte da cultura da empresa. Desse modo, é interessante fazer investimentos em questões como:

  1. Liderança: os líderes devem estar preparados para promoverem uma cultura disruptiva, tornando o time mais colaborativo, criativo e inovador;
  2. Ambiente: o local de trabalho precisa ser mais motivador, permitindo momentos de descanso e troca de ideias;
  3. Treinamentos: toda a equipe deve passar por um processo moderno e eficiente, para que entendam como a tecnologia disruptiva será usada;
  4. Liberdade para errar: os profissionais não devem ser pressionados a acertar sempre, possibilitando que errem sem medo de serem punidos.

Tudo isso deve ser realizado por meio de um planejamento, para que aconteça de modo estruturado. Assim, já com um orçamento definido para testar inovações e novos processos. Afinal, como é algo novo, o risco de dar errado é maior.

Ahgora Analytics: uma ferramenta perfeita para quem pensa em inovação disruptiva

O Ahgora Analytics é um sistema que permite o RH atuar de maneira mais estratégica, baseado em informações relevantes sobre os profissionais que fazem parte da empresa. É uma aplicação HCM, permitindo a geração automática de dados. Então, é possível ter uma atuação mais centrada e eficaz.

A inovação disruptiva pode ser percebida em um sistema que entrega gráficos acessíveis, que facilitam a tomada de decisões. O objetivo de Ahgora é proporcionar um recurso capaz de tornar as atividades dos profissionais de RH algo menos burocrático. Desse modo, conseguem avaliar o absenteísmo, saldo de horas e ainda o custo da folha de pagamentos.

O Ahgora Analytics é capaz de entregar dados preditivos, por meio do cruzamento e interpretação de informações geradas pelo sistema. Também apresenta insights sobre comportamento e perfil, tudo isso com o embasamento em dados específicos. Ou seja, permite identificar os resultados que determinada ação pode trazer para o futuro da empresa.

É algo que representa um novo conceito para a seleção de profissionais, questão que é tratada com certa cautela por empresas de variados segmentos. Ainda mais quando o profissional vai cumprir um papel essencial para o funcionamento do negócio. Contudo, o uso dessa aplicação HCM entrega resultados objetivos e perfeitos para a empresa.

Inovação disruptiva: conheça o sistema Ahgora Multi Pro

O Ahgora Multi Pro é um equipamento que faz o reconhecimento facial de uma maneira ágil, sendo um sistema antifraude que permite o registro de ponto. Possui a tecnologia touchless, que pode ser usada sem nenhum contato físico com o aparelho. Então, é algo muito interessante em época de pandemia, onde evitar o toque é essencial.

É uma maneira de substituir os tradicionais relógios por um equipamento tecnológico e robusto. Ele segue as recomendações da Portaria 373 e garante o armazenamento de dados mesmo offline. Assim, todas as informações são enviadas para o Pontoweb, para que possam ser trabalhadas de uma maneira assertiva.

  •       Esse equipamento entrega diversas vantagens para a sua empresa, como:
  •       Registro de ponto com reconhecimento facial e sem contato;
  •       Funciona até mesmo de modo offline;
  •       Tecnologia antifraude;
  •       Fácil de usar, sendo intuitivo e permitindo registro em pouco tempo;
  •       Armazenamento em nuvem e dados entregues em tempo real;
  •       Pode ser usado por vários colaboradores, gerando economia.

Por fim, o Ahgora Multi Pro é um sistema capaz de garantir mais tranquilidade para as marcações de ponto no seu empreendimento. Adote a ferramenta e faça com que a inovação disruptiva seja parte do seu negócio!

Compartilhe

Leave your comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *