Se você é novato em gestão de pessoas, vai se supreender o quanto ela é importante. Empresas se tornam mais competitivas quando o capital humano é desenvolvido. Há muitos problemas que a boa gestão de pessoas evita ou resolve.

Sabe aquela história de quem não sabe onde quer chegar, qualquer caminho serve? Ela se aplica perfeitamente ao cotidiano das empresas e a gestão de pessoas. Quando a organização não tem uma cultura bem definida ou a mesma não é comunicada da forma adequada aos empregados, se torna muito difícil que todos andem na mesma direção.

A falta de conexão entre os interesses de todos os envolvidos é um dos grandes problemas que a área de RH enfrenta. Imagine que um profissional em busca de flexibilidade de horário é contratado por uma empresa onde os turnos devem ser seguidos à risca.

Se a expectativa de ambos não ficar clara no período de contratação, pouco tempo depois pode começar a surgir problemas. Eles costumam refletir em diversos pontos no dia a dia do trabalho. Para evitar esse tipo de situação, é importante sensibilizar a direção da empresa. Devem atuar na gestão de pessoas juntamente com o RH, em todas as etapas da relação de trabalho.

planilha - indicadores de RH

Por isso, o primeiro passo é contratar somente profissionais alinhados à cultura e ao propósito da organização. Quando todas as lideranças da empresa estão dispostas a promover o desenvolvimento humano e a qualidade de vida, fica mais fácil alcançar os objetivos.

Além disso, quando os proprietários, diretores, gerentes e demais líderes se dedicam à gestão de pessoas, todos têm uma noção exata dos anseios, expectativas e reivindicações da equipe. Isso simplifica a tomada de decisão.

Problemas comuns à gestão de pessoas e como soluciona los
Problemas comuns à gestão de pessoas e como soluciona los

Problemas comuns à gestão de pessoas

Listamos a seguir alguns dos principais problemas que podem ser evitados com uma gestão de pessoas eficiente.

#1 Falta de perspectiva

Você sabe o que acontece com a empresa que não tem o foco nas pessoas? Dificilmente está preocupada em ouvir o empregado, suas expectativas, interesses e necessidades. Porém, isso é fundamental para a relação sustentável entre pessoas e empresas.

A avaliação de desempenho é uma das ferramentas usadas. Esse levantamento periódico de informações é usado para traçar um panorama do desenvolvimento de cada colaborador. comparação de dados permite uma análise mais detalhada de cada profissional. Mais importante, direciona o que empregado e empresa devem fazer para alcançar objetivos.

#2 Feedback insuficiente

A avaliação de desempenho e o feedback caminham juntos na gestão eficiente de pessoas. Porém, o feedback costuma ser mais recorrente e pode partir de qualquer um dos envolvidos na relação de trabalho. Imagine trabalhar oito horas por dia, executar inúmeras atividades e não saber se a empresa está satisfeita.

Sem feedback, o colaborador não tem como descobrir se está atendendo as expectativas… menos ainda, o que pode melhorar. A ausência de feedback pode levar o empregado a buscar novas oportunidades, inclusive.

Quando a empresa não dá abertura ao diálogo, o colaborador também não se sente à vontade para expressar as opiniões e interesses. A falta de comunicação pode resultar em conflitos ou problemas internos. Sem comunicação horizontal, não é possível fazer uma gestão de pessoas efetiva e eficiente.

#3 Falta de reconhecimento

O que a sua empresa faz para celebrar as conquistas da equipe? Cada organização cria ações de acordo com a sua cultura. Vale desde o quadro de funcionário do mês até bonificações financeiras, dias de folga, viagens ou outros incentivos. O que não pode é ficar sem reconhecer o esforço feito pelo colaborador.

Quando o foco da gestão é nas pessoas a valorização é essencial, afinal, o capital humano é maior ativo da empresa e isso deve ser reconhecido e estimulado.

#4 Falta de visão

Quando o RH foca apenas na execução de demandas operacionais, se torna limitado. Raramente consegue ter uma visão ampla da empresa e do segmento de atuação dos colaboradores.

O resultado é a alta rotatividade, o absenteísmos e todos os custos que envolvem o desligamento de funcionários e o recrutamento e seleção de novos empregados. Por isso, é importante que o RH amplie o ângulo de visão.

Vamos supor que uma determinada empresa abra algumas vagas. É comum, hoje, que atraia muitos interessados da geração Y, mas nenhum se interessa em prosseguir na seleção. A falta de visão de mercado pode impedir o RH e a Diretoria de perceberem que a empresa precisam se adequar à nova geração.

Outro exemplo é um funcionário com muito talento e interesse em executar determinada função, mas que está alocado em outro setor. Uma simples transferência interna pode:

  • evitar o desligamento;
  • aumentar a produtividade;
  • reduzir custos.

A sua empresa enfrenta algum dos problemas que citamos acima? Converse com a direção da empresa e sugira uma gestão mais orientada às pessoas.

Employee experience mapa de empatias
Employee experience mapa de empatias

Como a gestão humanizada combate problemas administrativos

O foco nas pessoas reforçou a humanização no trabalho e deixou de priorizar somente o lucro. O objetivo das empresas continua sendo o crescimento e o retorno financeiro. Porém, agora isso é visto como uma consequência.

A valorização dos profissionais – quando aliada ao desenvolvimento de competências – estimula o senso de pertencimento. É assim que os colaboradores passam a “vestir a camiseta”…. e profissionais satisfeitos tendem a produzir mais.

Você sabia que empresas como Google, Netflix e Apple são 40% mais produtivas? É o que apontou uma pesquisa publicada pela revista de tecnologia Fast Company. A gestão de pessoas é o caminho para uma equipe motivada, feliz e produtiva.

A importância da relação entre líderes e liderados

Porém, vale ressaltar que algumas premissas básicas devem ser seguidas. São pricípios essenciais:

  1. segurança;
  2. equidade;
  3. autonomia; e
  4. democracia.

Atenta a esses cuidados, a empresa cria um ambiente agradável, livre de ansiedade e medo. Assim, cada profissional dispõe de condições adequadas para contribuir com o time e alcançar resultados melhores.

Neste processo, é natural que alguns diretores e líderes fiquem receosos ao conceder autonomia aos colaboradores. Isso porque muitos estão acostumados a um outro formato de trabalho, vertical. Para dissipar essa apreensão, o RH pode:

  • proporcionar o desenvolvimento de competências; e
  • acompanhar os feedbacks e resultados.

Com mais liberdade, todos se sentem confortáveis para expressar opiniões. Assim, contribuem para a tomada de decisões.

Humanize para combater os problemas comuns à gestão

Resumindo, a gestão humanizada estimula que os profissionais alcancem os próprios propósitos na corporação. Ao mesmo tempo, contribuem para o desenvolvimento da instituição.

A maior vantagem é que a rotatividade tende a se tornar bem menor do que no modelo tradicional de gestão. Profissionais apaixonados pelo que fazem e pelas empresas onde atuam facilitam – e muito! – o papel do RH.

Agora você já conhece os princípios da gestão eficiente de pessoas e a importância da humanização no ambiente de trabalho. As pessoas são o ativo mais importante das organizações. Para manter as relações profissionais saudáveis, é primordial promover a qualidade de vida nas empresas.

Como já citamos, essa deve ser uma preocupação não só do RH, mas também da diretoria e líderes. A sua empresa já tem uma gestão de pessoas eficiente ou você começará a estimular que isso aconteça?

Compartilhe