Na sua empresa, o organograma do setor de RH é estruturado e organizado? Se a resposta for negativa, saiba que o seu caso não é único. Muitos negócios ainda operam sem um setor devidamente construído.

Mas, fique tranquilo! Neste artigo, abordaremos tudo o que é preciso saber sobre o assunto. Ao longo do texto, você saberá qual a importância do organograma de RH para empresas, quais os tipos mais comuns e como organizar a sua estrutura organizacional.

Continue lendo!

O que é o organograma do setor de RH?

Os organogramas são a representação gráfica da estrutura organizacional. Ou seja, da forma como as relações hierárquicas devem acontecer durante atividades rotineiras. Assim, toda empresa reflete a maneira como os colaboradores estão colocados em relação às suas tarefas, cargos e setores.

A falta dessa ordem, ou da transparência na comunicação, podem trazer sérios problemas ao dia a dia do negócio. Enquanto isso, a sua definição ajuda na criação de uma cultura organizacional adequada, em que todos têm ciência do que a empresa espera e de qual é o caminho a seguir.

O setor de Recursos Humanos tem um papel importante na elaboração do organograma geral da empresa. Dificilmente, outra área conseguirá identificar com a mesma propriedade as responsabilidades de cada um. A fim, é claro, de que as tarefas necessárias ao objetivo do negócio sejam desempenhadas com eficiência.

A área de RH é, assim, corresponsável por fazer com que a empresa não se distancie do seu planejamento estratégico.

Entretanto, o que vemos muitas vezes é o departamento de RH participando ativamente da elaboração do organograma geral – e se esquecendo de produzir um para si. Em outros casos, a estruturação do setor ocorre após a formulação do organograma – e, depois disso, ele é deixado de lado.

Criar uma estrutura organizacional é tão importante para a área, quanto o organograma geral é para a empresa. Da mesma forma, ele pode ser considerado a espinha dorsal das funções a serem exercidas.

Se o organograma geral é o espelho dos papéis dos colaboradores que compõem o setor, é indispensável que eles vejam perfeitamente como se encaixam em estruturas e processos.

O organograma do setor de RH também é uma ótima preparação para seu crescimento. É muito mais fácil encaixar e transmitir as responsabilidades de novos integrantes da equipe com o desenho da estrutura pronto.

Pela ótica do colaborador, a organização simplifica o entendimento de como se encaixa e de qual engrenagem representa no sistema geral do RH. Além disso, também aumenta a segurança e a confiança no transcorrer das atividades.

A relação entre RH, departamento pessoal e organograma

Poucas pessoas fora do âmbito da gestão de pessoas entendem a diferença entre RH e departamento pessoal. O primeiro é o responsável pela gestão do clima organizacional, da cultura empresarial e do Recrutamento & Seleção; enquanto o DP trata das questões mais burocráticas.

O organograma do setor de RH pode ser uma importante ferramenta para combater essa falta de conhecimento no ambiente corporativo.

Com a organização estrutural desta área, é mais fácil para os colaboradores entenderem as atribuições da equipe de gestão de pessoas. Assim, as demandas costumam ser mais bem direcionadas, evitando perdas de tempo desnecessárias.

Quais tipos de organograma é possível usar?  

Há diversos modelos de organogramas, que buscam espelhar os diversos tipos de gestão. Porém, três formatos se destacam por serem mais populares e conseguirem se adequar à maior parte das empresas:

Modelo vertical

É o formato mais clássico de organograma e, possivelmente, o que vêm à cabeça de todos. As posições refletem o nível hierárquico em uma cadeia de responsabilidades retratadas de maneira mais rígida. A diretoria está no topo, e os níveis abaixo dela seguem em blocos subdivididos entre em setores e funções.

A responsabilidade e a autonomia são proporcionais à altura que o colaborador ocupa na pirâmide estrutural.

Modelo funcional

Ele é muito parecido com o modelo vertical, mas prioriza as funções e não os cargos. Dessa forma, mostra as relações funcionais dentro da empresa ou dos setores, ao passo em que os colaboradores ocupam as atividades a serem desempenhadas.

Modelo circular

Essa é uma alternativa para empresas com gestão mais flexível em relação à hierarquia. Embora siga a lógica de matriz de responsabilidades, ela é demonstrada de forma suave, destacando o trabalho em equipe e a proximidade dentre os setores.

Nesse modelo, a diretoria parte do centro e as outras áreas se expandem para o exterior do círculo. Costuma ser utilizada em formatos mais modernos de gestão, que primam por uma horizontalidade maior.

Como estruturar o organograma do setor de RH?

Confira um passo a passo para desenvolver a estrutura organizacional da área:

1. Conheça bem o funcionamento

Esse é o passo mais importante. De nada adianta um organograma lindo, se ele não reflete a realidade dos colaboradores. É preciso uma ferramenta que otimize a gestão de pessoas e processos, e não uma ilustração de como as coisas deveriam ser- mas nunca são.

Partindo do modelo de gestão já existente, se torna mais fácil o entendimento de cada um sobre como deve proceder. A partir dessa representação, é possível fazer todos os ajustes necessários.

2. Escolha o modelo ideal

Com o conhecimento prévio sobre o qual acabamos de falar, basta escolher o formato ideal para o seu caso.

3. Resumido ou detalhado?   

Ambas as opções apresentam seus prós e contras. Enquanto um documento resumido é de simples compreensão, uma alternativa detalhada pode gerar resultados eficazes junto com outras ações. Leve em consideração o perfil do seu setor e das pessoas que o compõem.

4. Use uma ferramenta adequada

Colocar o organograma no papel – ou na tela – é uma atividade tranquila. O Excel oferece muitas funcionalidades e templates prontos. Também podem ser utilizados diversos outros softwares para chegar ao mesmo objetivo.

5. Apresente à equipe

Seu organograma não terá utilidade dentro de uma gaveta. Reúna a equipe, apresente a organização estrutural e tire as dúvidas sobre o assunto. Como estamos tratando de um setor específico, esse processo costuma ser simples, além de apresentar resultados ágeis.

Agora, não existem mais desculpas para o seu setor de RH não ter o próprio organograma. Com essa ferramenta, será possível desempenhar um papel estratégico no seu negócio. Quer gerenciar suas tarefas de forma moderna e integrada? Conheça o Ahgora Timesheet.

Compartilhe