A competitividade é real em todos os mercados, e a Transformação Digital deve acentuar ainda mais essa tendência nos próximos anos. Nesse quadro, é cada vez mais importante atrair e reter talentos.

Um dos pontos fundamentais para a gestão de pessoas é a elaboração de uma política de remuneração atrativa. Entre os pontos que compõem a estratégia, o pacote de benefícios pode ser um importante diferencial. Pensando nisso, muitas empresas estão optando por benefícios flexíveis. Você já ouviu falar sobre eles?

Se a resposta for negativa, não se preocupe! É um modelo ainda pouco difundido no Brasil. Ele se diferencia do formato habitual por dar liberdade maior de escolha ao colaborador. Já que, tradicionalmente, a empresa é quem escolhe quais benefícios a equipe vai receber.

Quando a organização opta pela política de benefícios flexíveis, oferece ainda uma série de opções para que cada pessoa decida quais receber. Além do benefício óbvio da escolha, a modalidade costuma fornecer mais alternativas – algumas podem ser menos convencionais. Assim, a empresa consegue agradar a um número maior de perfis de profissionais.

Mas como adaptar a sua empresa para uma nova política? Continue lendo e descubra!

Benefícios flexíveis: o que oferecer?

Embora seja uma novidade para muitas pessoas, os pacotes de benefícios flexíveis foram criados nos 70, nos Estados Unidos. Essa política tem se popularizado no Brasil devido à necessidade das empresas de atrair mão de obra qualificada e diminuir turnover. Mas também pelas mudanças no estilo de vida dos brasileiros.

Para atender a essa demanda, o mercado sempre atento ampliou as opções de benefícios que as empresas podem oferecer. Antes de explicar como desenvolver um modelo flexível na gestão de capital humano, vamos ver quais as vantagens mais procuradas:

  • Vale-refeição ou alimentação;
  • Plano de saúde e odontológico;
  • Seguro de vida;
  • Previdência privada;
  • Auxílio-medicamento;
  • Auxílio educação;
  • Auxílio-creche;
  • Vale-combustível;
  • Estacionamento;
  • Academia.

Estes são apenas alguns exemplos dos benefícios que podem compor o leque da empresa, mas constantemente novas ofertas são criadas.

Política de benefícios flexíveis em 5 passos

Migrar de um modelo tradicional para o de benefícios flexíveis não é uma tarefa complicada, basta seguir alguns passos. Confira quais são eles:

1. Faça a análise da situação atual

É importante, antes de iniciar o planejamento efetivo da nova estratégia, fazer um balanço da atual política e identificar seu impacto nos processos de Recrutamento & Seleção e no time. Além de entender de que forma ela está alinhada com a organização. Essas respostas irão te ajudar a planejar e executar a nova política de modo mais assertivo.

2. Crie um planejamento financeiro 

É fundamental mapear a verba disponível para a política de vantagens. Esse levantamento vai ser a base para elencar e priorizar os benefícios flexíveis a serem oferecidos

3. Pesquise junto aos colaboradores

O passo mais importante num formato de benefícios flexíveis é entender as necessidades dos colaboradores. Somente assim, será possível atingir o objetivo final desse processo: o de motivar e engajar a equipe.

A pesquisa pode ser feita através de formulários, e-mail, intranet ou qualquer ferramenta de comunicação disponível. O fundamental é saber quais benefícios fazem sentido para o seu público em específico.

4. Monte a cesta de benefícios

Com as informações relativas à preferência em mãos, chegou a hora de fechar o pacote de benefícios flexíveis a ser oferecido. O ideal é cruzar esses dados obtidos na pesquisa com o planejamento estratégico da empresa.

Assim, é fácil entender quais comportamentos precisam ser estimulados e quais benefícios fazem mais sentido. Há muitos fornecedores capazes de ajudar na formação desse pacote. Alguns oferecem soluções que agregam diversas vantagens e outros utilizam formatos de startups para trazer alternativas menos comuns.

Defina a matriz de responsabilidade sobre a implementação da nova política para que todo o planejamento saia do papel.

5. Comunique e incentive

Com a política definida e o pacote montado, é hora de comunicar o novo sistema e utilizá-lo para engajar ainda mais os colaboradores. Mostre como o modelo visa melhorar a vida do trabalhador e agregar à sua renda.

Premiações e campanhas de incentivo podem ser ótimas opções para mobilizar toda a empresa. O esforço costuma ser valorizado e se traduz em melhores desempenhos.

Como isso funciona na prática?

Aqui na Ahgora, o formato de benefícios flexíveis é aplicado na prática.

Os colaboradores podem escolher entre as opções que são fornecidas. Para isso, eles recebem pontuações de acordo com os cargos que ocupam – de 10, para assistentes, a 100, para cargos de gestão e especialistas.

Cada ponto pode ser convertido em R$ 10 em benefícios com um extra: benefícios ligados à educação (graduação e creche), saúde e bem-estar (farmácia e academia) valem mais pontos. Dessa forma, é possível ter mais de R$ 1000 em benefícios agregado ao seu salário mensal.

Para nos mantermos atualizados, repetimos  essa pesquisa a cada seis meses, o mesmo período em que cada colaborador pode alterar o seu pacote de benefícios.

Não se esqueça de que um programa de benefícios flexíveis é uma ferramenta poderosa para otimizar a gestão de pessoas. Sendo assim, é fundamental que mesmo com uma quebra de paradigmas, a política seja executada. Com isso, a mudança será acompanhada de resultados em curto prazo.Conheça o MyAhgora e acompanhe a gestão e o demonstrativo de pagamentos online!

Compartilhe