O ponto eletrônico facial surge como uma alternativa tecnológica e eficiente para registrar e controlar a frequência dos colaboradores. Especialmente para quem conta com equipes à distância, ele permite acompanhar a produtividade e evitar problemas comuns em pontos tradicionais.

Fruto do avanço tecnológico, o ponto eletrônico facial já é realidade em muitas empresas. Ele se baseia em algoritmos capazes de mapear cerca de 80 pontos do rosto. Assim, aliando características como distância entre os olhos, formato da mandíbula e lábios, chega-se à biometria facial – representando um único indivíduo e evitando qualquer tipo de fraude.

Para a área de Recursos Humanos, a ferramenta auxilia na gestão de pessoas. Isso porque é possível utilizá-lo para o controle de ponto através do reconhecimento facial, eliminando os relógios de ponto tradicionais e tornando todo o processo mais ágil e seguro. 

Logo, evita fraudes de registro de ponto, favorece a transparência na comunicação entre a empresa e o profissional e, com isso, reduz a incidência de processos trabalhistas.

Neste artigo, você vai conhecer as principais vantagens do ponto eletrônico facial e como ele funciona na prática.

Vamos lá!

Evolução do registro de ponto: do livro ponto até o ponto eletrônico facial

Até chegar no ponto eletrônico facial, o RH se deparou com diversos outros sistemas para registro de ponto – incluindo modelos manuais que não ofereciam nenhuma segurança quanto às informações.

A primeira forma de monitorar a jornada de trabalho dentro de uma empresa foi através do livro ponto. Nele, o próprio colaborador inseria o horário de entrada e saída do trabalho. O que, convenhamos, deixava brechas para fraudes, tanto das empresas quanto dos colaboradores. Inclusive, anotações sobre horários que nunca variam e que, muitas vezes, ainda são completados pelos próprios empregadores, nem servem como prova no controle de jornada.

Em seguida, passou a ser utilizado o relógio ponto analógico. Nesse caso, o colaborador inseria seu cartão pessoal em uma máquina, que carimbava o papel com a data e o horário de entrada ou saída. Apesar de mais seguro, o produto ainda apresentava limitações. 

No final dos anos 90, o avanço tecnológico se tornou mais nítido. Isso porque foi a vez do cartão magnético e do sistema digital de registro de ponto surgirem, oferecendo automatização e, consequentemente, mais agilidade ao de registro de ponto.

Apesar de benéfico, esse sistema ainda era suscetível a falhas e fraudes, pois não era possível controlar se o cartão não estava sendo utilizado por outro colaborador, por exemplo.

É nesse cenário que surgiu a tecnologia de reconhecimento facial, que é capaz de assegurar agilidade, eficiência e segurança ao processo.

Como funciona o registro no ponto eletrônico facial?

Através de um aplicativo para celular ou sistema biométrico da empresa, o colaborador fica em frente à câmera, para que o seu rosto seja escaneado.

Após a identificação de todos os seus pontos nodais, que são únicos e fazem com que o reconhecimento facial seja um sistema praticamente infalível, é feita uma foto do profissional, para que seja possível fazer a comparação com a imagem existente no cadastro feito previamente.

No momento em que há a confirmação, a imagem é armazenada na nuvem para controle, juntamente com dados como horário e dia. Dessa forma, é realizado o registro de ponto, que pode ser acessado em tempo real pelo RH para controle de produtividade e assiduidade.

Por ser vinculado a um aplicativo especializado, o ponto eletrônico via reconhecimento facial permite gerenciar outros formatos de trabalho com eficiência, como é o caso do home office.

Ou seja, para quem atua de forma presencial, o processo de identificação pode ser realizado em um equipamento da empresa ao entrar ou sair do local de trabalho, registrando a jornada. Já para quem trabalha de forma remota, é possível usar aplicativos para o registro de ponto eletrônico através de uma selfie. Assim, a imagem será comparada com a que se tem no sistema em nuvem para, assim, registrar o ponto.

É importante reiterar que, enquanto o ponto eletrônico é sinônimo de inovação, a tecnologia de reconhecimento facial leva a transformação digital para a gestão de pessoas das empresas – especialmente aquelas que contam com times atuando de forma remota

Principais benefícios do ponto eletrônico com reconhecimento facial

Plataforma leve

Ela não compromete a capacidade e o espaço de armazenamento dos computadores da empresa e dos smartphones dos profissionais.

Usabilidade simples

Os colaboradores apenas precisam realizar o seu cadastro facial uma única vez, pois este ficará armazenado em nuvem. Assim, no momento do registro de ponto, a foto tirada é comparada com a do cadastro, gerando a autenticação.

Ótimo custo-benefício

A ferramenta apresenta ótimo custo-benefício às empresas uma vez que melhora os processos internos e evita gastos que prejudicam a organização financeira, como é o caso dos processos trabalhistas e o investimento em equipamentos para o controle de jornada, como o relógio de ponto (REP).

Acesso responsivo

Outra vantagem do ponto eletrônico facial é o fato dele funcionar em diversos dispositivos, mantendo as mesmas características. Ou seja, independentemente se o acesso vai ser realizado em computador, smartphone ou tablet, as ações que devem ser adotadas são as mesmas.

Agilidade no registro

Além de preciso e seguro, o reconhecimento facial não demora nem 10 segundos para ser realizado. Isso é especialmente benéfico para empresas que possuem maior volume de colaboradores que atuam fisicamente presentes.

Assim, evitam-se filas em entradas e saídas de expediente.

Sistema inteligente

O ponto eletrônico facial funciona com o sistema Machine Learning, que é capaz de aperfeiçoar o cadastro do rosto conforme ele vai realizando novas leituras. Isso significa que ele está sempre se aprimorando, mesmo que o profissional promova mudanças na sua aparência, como mudar a barba e raspar o cabelo.

Qual a importância do ponto eletrônico facial na gestão do trabalho remoto?

Gerenciar à distância a jornada de trabalho e a produtividade dos colaboradores é um dos principais desafios do RH. Especialmente porque, por si só, essa modalidade envolve um pouco mais de flexibilidade e é importante se adequar.

O Ahgora Multi é um aplicativo que utiliza a tecnologia de reconhecimento facial para o registro de ponto. A batida acontece de forma rápida e simples, de qualquer lugar. Além de envolver baixo investimento, ele descomplica todo o processo que envolve o registro de ponto. Afinal, elimina a digitação, os riscos de erros e fraudes.

Ainda, o app elimina papéis com os recibos de ponto online e na tela, logo que a batida é registrada. É mais mobilidade e autonomia no registro de ponto. O Multi também conta com geolocalização, sendo ideal para colaboradores internos e externos. 

Com essa ferramenta, você consegue acompanhar, ainda, a jornada de equipes que trabalham em campo, bem como a pontualidade e frequência dos profissionais. E o melhor: tudo de forma intuitiva, ágil, na nuvem e com possibilidade de uso em modo offline.

Não perca tempo. Conheça agora mesmo o Ahgora Multi e os benefícios que ele pode oferecer para o seu negócio!

Compartilhe