O ponto eletrônico permite o registro das jornadas de trabalho de uma maneira precisa, confiável e transparente. As informações ficam anotadas em um sistema que pode ser acessado apenas por pessoas credenciadas. Mas, o que diz a lei? Quais os benefícios para sua empresa? Aqui estão todos os detalhes sobre o tema!

A gestão de ponto eletrônico é algo que pode garantir diversos benefícios para uma empresa. Por exemplo: traz mais confiança para a relação entre colaboradores e gestores. Assim como ajuda a identificar profissionais faltosos, horas extras inadequadas e outras questões.

Com as novas tecnologias, até mesmo as rotinas administrativas mais burocráticas podem ser revisadas. Existem leis e portarias que permitem o uso desse sistema para os registros de jornadas. Então, as empresas que adotam um mecanismo como esse são beneficiadas e respeitam a legislação trabalhista.

Esse é um investimento que as empresas precisam fazer, porque não dá mais para depender de anotações manuais. É uma maneira de levar o seu negócio para o futuro, atingindo a eficiência operacional e a maturidade digital. Aliás, qualquer empresa pode apostar nesse tipo de tecnologia.

Com ele é possível automatizar as rotinas e deixar o RH menos sobrecarregado, permitindo a tomada de decisões estratégicas, visando o futuro da empresa. A seguir você confere todos os detalhes que envolvem o ponto eletrônico, desde a regulamentação para o seu uso até as vantagens para os negócios.  Aliás, se preferir, você também pode ouvir o post, é só clicar no player.

O que é ponto eletrônico?

Ficou para trás o tempo em que as empresas registravam as jornadas dos colaboradores de maneira manual. Embora muitas ainda continuem usando esse sistema, já não é algo usual. Você sabe o que é ponto eletrônico? Essa é uma forma ágil e segura de registrar os horários de trabalho dos profissionais.

Em suma, o ponto eletrônico é um dispositivo onde os colaboradores fazem suas marcações, quando chegam e quando saem da empresa. Além disso, devem fazer as batidas na hora dos intervalos, como no momento do almoço. Atualmente existem diversos modelos no mercado e cabe às empresas escolherem o melhor.

Com os Sistemas Eletrônicos de Registro de Ponto (SERP) os negócios podem entrar em uma nova era! É oportuno lembrar que esse sistema é regulamentado pela Portaria 1510 do MTE. Já a Portaria 373 é a legislação que dispõe sobre os sistemas alternativos de ponto.

O relógio de ponto começou a ser usado em 1888 nos Estados Unidos, mas chegou ao Brasil somente em 1930. Entretanto, até a década de 1980 as empresas usavam apenas o livro ponto ou relógio mecânico para registrar as jornadas. Então, em 1989 foi publicada a Lei 7.855, que permitiu a adoção de sistemas eletrônicos.

Livro ponto é coisa do passado

Acompanhar a jornada de trabalho dos colaboradores é fundamental, seja para otimizar a distribuição das demandas ou identificar gargalos de produtividade. Então, o livro ponto é uma forma de fazer essa gestão, ele é permitido por lei, só que carrega consigo uma série de desvantagens.

De fato, ele se resume a uma simples folha, onde o funcionário aponta as horas trabalhadas. Além de ultrapassado, este método esconde alguns riscos, que listamos abaixo:

  •       Informações incorretas;
  •       Possibilidade de fraudes;
  •       Risco de extravio;
  •       Dificuldade de localizar as informações;
  •       Alto tempo para tabulação dos dados;
  •       Possibilidade de erro humano na transcrição das informações;
  •       Horário britânico.

Diante de tantos complicadores, o livro de ponto é realmente um “barato que pode sair muito caro”. Além disso, o retrabalho é algo comum, já que alguém do RH terá que avaliar todas as anotações ao fechar a folha de pagamento. Por isso, se você pretende reduzir custos, a melhor alternativa é o ponto eletrônico.

Portaria 1.510 e Portaria 373: o que diz a lei sobre ponto eletrônico?

A primeira lei sobre o uso de ponto eletrônico no Brasil foi publicada em 1989, depois disso houve algumas mudanças na legislação. Atualmente as empresas podem adotar até mesmo formas alternativas de registro, usando computadores e celulares, por exemplo. Tudo isso está previsto na legislação!

A Portaria 1510, da Secretaria do Trabalho, foi publicada em 2009, quando havia um órgão chamado Ministério do Trabalho e Emprego. Assim, regulamentou o uso do ponto eletrônico nas empresas. Além disso, determinou todas as normas que deveriam ser seguidas pelas desenvolvedoras desses aparelhos.

Em 2011 houve uma atualização na lei, com a publicação da Portaria 373 do MTE. Desse modo, os sistemas alternativos de registro de ponto foram permitidos, possibilitando que o trabalho remoto ganhasse novos rumos. Entretanto, as empresas precisam estar alinhadas  com uma convenção ou acordo coletivo de trabalho que permita a adoção dos sistemas alternativos.

Se a sua empresa ainda não faz a gestão de ponto, cuidado! Você pode estar correndo sérios riscos trabalhistas. Aliás, se um fiscal da Secretaria do Trabalho visitar a empresa, pode receber um TAC, processos, ações trabalhistas ou multas! Afinal, qualquer empresa com 20 colaboradores ou mais precisa registrar as jornadas de trabalho por lei.

ponto eletrônico e o RH do futuro

Múltiplas formas de registro de ponto eletrônico

Existem múltiplas formas de registro de ponto, sendo que a tecnologia proporcionou o surgimento de novas modalidades bem interessantes. Desse modo, é possível que a área de Recursos Humanos encontre opções para tornar o setor mais dinâmico e evitar a perda de tempo com retrabalhos.

As principais formas são as batidas por meio do relógio físico, por navegador e por celular. Todas elas são autorizadas pela legislação trabalhista, basta apenas escolher um fornecedor que cumpra o que determina a lei. Aliás, é possível que funcionem em conjunto em uma determinada empresa.

Hoje, por exemplo, os colaboradores não precisam mais ficar em uma fila esperando a sua vez para que possam registrar a presença. Afinal, os modelos são muito mais rápidos e permitem mais autonomia para os profissionais no momento das marcações.

Relógio de ponto

O relógio de ponto é uma forma tradicional de registrar os horários dos colaboradores. Esse é um equipamento físico que fica localizado geralmente na entrada das empresas. Atualmente existem softwares capazes de fazer a leitura dos dados salvos e auxiliar nas marcações de ponto. A Ahgora, por exemplo, entrega várias opções de registradores de ponto que atendem as necessidades das empresas além das normas regulamentadoras.

A legislação trabalhista determina que todas as empresas com 20 colaboradores ou mais precisam fazer as marcações de ponto. Entretanto, recomendamos que isso aconteça nos negócios que possuam acima de 10 trabalhadores. Afinal, isso permite tornar a gestão muito mais assertiva e gerar transparência nas relações de trabalho.

O relógio de ponto escolhido deve ser aferido pelo INMETRO. Em 2013 o órgão publicou a Portaria 595, que determina as regras para o uso deste equipamento. Então, quando for escolher um sistema de registro para a sua empresa, avalie se ele segue todas as normas das entidades responsáveis.

Ponto por navegador

O ponto por navegador consiste em uma forma de registrar a jornada de trabalho, geralmente, por meio de um computador. Neste caso, não é necessário fazer o download de nenhum aplicativo, basta abrir o navegador, fazer o login no sistema e realizar a sua marcação.

É uma possibilidade capaz de tornar a gestão de ponto mais veloz e eficaz. É normal que colaboradores formem filas em torno de um relógio de ponto físico, ainda mais em grandes empresas. Por outro lado, ao adotar o ponto por navegador essa condição é superada.

É algo que está de acordo com as normas da Portaria 373 do MTE, sendo uma modalidade interessante para quem atua em home office. Enfim, é algo que traz mais agilidade, confiabilidade, segurança e dados em tempo real. A área de recursos humanos pode utilizar esse sistema para facilitar a gestão de times remotos, por exemplo.

A Batida Online é uma das opções de registro que a Ahgora entrega ao mercado, certificado pela ABNT e com liberação via login, senha e IP. Nosso modelo é intuitivo e permite marcações de ponto em poucos segundos. Basta que o RH oriente os colaboradores sobre como devem agir.

Ponto eletrônico no celular

Já é possível fazer marcações de jornada por meio de smartphones! O ponto eletrônico no celular é uma forma simples de garantir os registros, apenas em alguns cliques, permitindo que as informações fiquem armazenadas em um local seguro. Aliás, ele também está de acordo com a Portaria 373.

Essa é a melhor alternativa para as empresas que possuem colaboradores externos. No passado eles precisavam fazer as anotações na folha ponto, gerando retrabalho e ainda, muitas vezes, trazendo inconsistência para as anotações que eram feitas.

O Multi é um sistema desenvolvido pela Ahgora que permite batidas de ponto por celular através do reconhecimento facial, trabalhando com dois sistemas de geolocalização: GPS e GLONASS. Desse modo, ele mostra com precisão o local em que o trabalhador fez o seu registro de jornada. Assim, os gestores passam a confiar mais nas informações registradas e identificam se o colaborador está mesmo trabalhando.

Tecnologia na gestão de ponto eletrônico

A gestão de ponto eletrônico normalmente é realizada com o auxílio de aplicativos, que servem para substituir as planilhas e anotações manuais. Dessa forma, basta que o colaborador faça seus registros e os dados são cadastrados automaticamente, ficando salvos na nuvem e disponíveis para conferência em tempo real. É algo que contribui bastante para a área de Recursos Humanos.

Com o uso da tecnologia, é possível garantir mais segurança para as informações. Além disso, os gestores passam a ter dados em tempo real na palma da mão, basta alguns cliques para que possam conferir as informações.

tecnologia na gestão de ponto eletrônico

É algo essencial para grandes empresas, que possuem unidades em mais de uma cidade. Afinal, é muito mais complicado reunir informações, o que leva tempo e pode prejudicar a tomada de decisões. Por outro lado, ao adotar este conceito as informações passam a ser muito mais estratégicas.

Assim, fica bem mais fácil identificar colaboradores que estão fazendo horas extras indevidas. Ou então aqueles que estão chegando atrasados e comprometendo a produtividade do negócio. Mas, com a gestão de ponto eletrônico é possível superar todas essas condições.

Tecnologia IoT na coleta de dados da jornada

A Internet das Coisas, ou tecnologia IoT, veio para facilitar a gestão de pessoas. Assim, a integração em tempo real entre hardware e software permite que os colaboradores tenham respostas mais rápidas às questões que envolvem o trabalho. É o caso de relógios de ponto, por exemplo.

Com informação em tempo real, o time consegue tomar decisões de forma mais segura. Esse é um conceito que existe há tempos, mas que começou a ganhar mais força ao longo da década de 2020. Hoje em dia já existem diversos aparelhos capazes de se conectar à internet, algo que também pode ser adotado no RH.

As vantagens se tornam aparentes conforme o RH deixa de ser o intermediário entre gestores e colaboradores. Com a informatização dos processos, o sistema organizacional acumula dados sobre a gestão de pessoas. O sistema consegue ainda entregar relatórios completos sobre a jornada de trabalho.

Aliás, todos os registradores de ponto oferecidos pela Ahgora utilizam a tecnologia IoT para enviar informações em tempo real ao nosso software de gestão de ponto, o Pontoweb. Dessa forma, entregamos os dados sobre a jornada de trabalho dos colaboradores em relatórios estratégicos que facilitam o acompanhamento no dia a dia do setor.

Sistema em nuvem facilita armazenamento e acesso das informações

O uso de sistema em nuvem tem sido algo cada vez mais corriqueiro na vida e no trabalho. Eles armazenam informações em servidores oferecidos por empresas que lidam com tecnologia. Assim, entregam grandes vantagens em comparação com softwares instalados nas máquinas físicas:

  •   Permitem uma infraestrutura mais enxuta;
  •   Aumentam a flexibilidade dos investimentos;
  •   Permitem a gestão de qualquer lugar e a qualquer hora. 

Em termos de tecnologia, a nuvem equipara as pequenas e grandes empresas. Afinal, permite o uso da mesma infraestrutura de soluções, o que pode deixar sua empresa mais competitiva. Além disso, garante segurança jurídica ao permitir o controle de documentos e dados trabalhistas.

Já existem sistemas de ponto eletrônico em nuvem, onde é possível acessar as informações de qualquer lugar, basta fazer o login. Isso permite automatizar processos de Recursos Humanos, tornando a tomada de decisões algo mais veloz. Também é uma forma de incentivar a transparência entre RH, gestores e colaboradores.

Informações em tempo real de qualquer lugar

A tecnologia contribui para que a gestão de pessoas deixe de ser uma responsabilidade exclusiva do RH. Atualmente é possível ter acesso a informações em tempo real em qualquer lugar, o que ajuda demais os profissionais do setor. É possível tomar decisões no momento em que as situações acontecem.

Os dados laborais passam a fazer parte do dia a dia dos líderes, trazendo mais autonomia e agilidade, permitindo fazer escolhas assertivas e se antecipar diante de possíveis crises. Com as informações organizadas e disponíveis, os responsáveis conseguem gerir com mais eficiência seus times. Dessa forma, cada gerente concilia o perfil dos colaboradores e as estratégias da empresa.

Em contrapartida, os colaboradores acabam recorrendo menos ao RH para tirar dúvidas e passam a fazer o uso de portais virtuais, como o MyAhgora, a plataforma profissional completa dos funcionários. As ferramentas passam a dar mais transparência na relação com todos os níveis. O colaborador pode:

  •   Conferir o saldo de horas e checar informações de batida;
  •   Consultar o comprovante de pagamento;
  •   Acessar  o informe de rendimentos;
  •       Anexar atestados e documentos; 

.    Solicitar ajustes no ponto, como incluir batidas ou solicitar abono.

As interfaces estão cada vez mais intuitivas. Até mesmo pessoas sem intimidade com a tecnologia conseguem usar tranquilamente este tipo de aplicativo. Mas, uma ideia é promover um treinamento com a sua equipe, para acabar com todas as dúvidas sobre o sistema.

A área de Recursos Humanos se torna mais produtiva, as rotinas operacionais, relatórios legais e integração com outros sistemas deixam de ser grandes preocupações. Aliás, o desafio atual é o uso das informações. O RH do futuro é propositivo e acompanha a implementação de ações de alto impacto na empresa, tornando-se uma área cada vez mais estratégica.

Descentralização do RH por meio da tecnologia

Todos os dias os profissionais de Recursos Humanos são responsáveis por uma série de atividades, que lotam suas rotinas. Entretanto, a descentralização do RH é uma maneira de tornar os líderes de setores mais participativos. Permitindo que assim possam interagir melhor com os colaboradores que fazem parte de cada área.

Quando as lideranças passam a contar com informações precisas em mãos, o contato e demandas com o RH tornam-se menores. Afinal, esses gestores deixam de ser tão dependentes e passam a tomar decisões rápidas, o que também é bom para os colaboradores. A autonomia é algo excelente para melhorar o desempenho do negócio.

Pensando nesse cenário, a Ahgora desenvolveu o aplicativo Leader que concentra diversas informações sobre a jornada dos colaboradores aos líderes dos setores. É possível verificar o banco de horas, aprovar pedidos de férias, abonos ou justificativas de faltas, por exemplo. Tudo isso sem depender do RH

A descentralização do setor é ainda mais importante em grandes empresas, que possuem sedes em várias cidades. Assim, cada uma delas passa a contar com gestores capacitados para tomar as melhores decisões conforme as situações que surgirem. Enquanto isso, os profissionais de RH passam a trabalhar estrategicamente.

Relatórios preditivos para um RH estratégico

O ponto eletrônico é capaz de fornecer relatórios ideais para um RH estratégico, integrando as políticas do setor aos objetivos gerais do negócio. Mas, vai além de inserir profissionais de RH no planejamento estratégico. Então, é necessário avaliar bem todas as ações que devem ser tomadas para chegar aos resultados desejados.

Com esse modelo de atuação as atividades são alinhadas aos objetivos globais da empresa. Entretanto, vale frisar que é preciso repensar tudo desde o início, onde é necessário que o RH prepare estratégias de comunicação, capacitação e motivação, para que a empresa atinja os melhores resultados.

Então, com os relatórios proporcionados pelo tratamento de ponto é possível entender o que precisa ser feito. Aliás, as informações se tornam mais seguras em relação às anotações feitas à mão. Assim, os profissionais conseguem identificar as situações antes que elas se repitam, facilitando a tomada de decisões.

A tecnologia na gestão de ponto eletrônico é excelente! Existem softwares e aplicativos que auxiliam na avaliação dos horários de chegadas e de saídas. Os trabalhos podem ser automatizados, não é mais necessário avaliar pilhas de documentos de forma manual. Enfim, é um investimento importante, pensando nas decisões assertivas.

5 benefícios do registro de ponto eletrônico

Existem diversos benefícios de adotar o ponto eletrônico em seu negócio. Ele é capaz, por exemplo, de auxiliar na melhoria da produtividade, contribuir com a maturidade digital e garantir mais transparência nas relações de trabalho. É por isso que cada vez mais as empresas têm investido neste sistema.

Hoje em dia já existem modelos bastante modernos, que possuem armazenamento de dados em nuvem e trabalham com tecnologia IoT. Desse modo, a gestão da jornada de trabalho pode ser feita de uma forma mais dinâmica e ágil. Afinal, o RH passa a lidar com dados em tempo real, na palma da mão.

Fato é que o ponto eletrônico vai muito além apenas de seguir o que determina a legislação trabalhista. Ele entrega benefícios capazes de tornar a tomada de decisões algo mais assertivo. Porque os dados avaliados são precisos e a chance de erros humanos é muito menor.

1. Produtividade

Gestores e profissionais de RH devem ter o olhar atento para a produtividade dos colaboradores. De fato, alguns pensam que apenas o registro da jornada de trabalho já é o suficiente para garantir um bom desempenho de cada funcionário. Entretanto, existem outros itens que precisam ser levados em consideração.

É essencial que os gestores consigam avaliar qual é o tempo empenhado em cada função. Desse modo, podem descobrir se a atividade está fluindo bem ou precisa de ajustes. Porque quando as ações demoram muito para sair do papel e não trazem os resultados esperados, podem representar prejuízos para o negócio.

O ponto eletrônico entra neste cenário garantindo o tratamento de informações e o fornecimento de relatórios em tempo real. A partir disso, os gestores conseguem avaliar com clareza se a produtividade está boa ou não. Aliás, um sistema de gestão de pessoas possibilita agilidade nas ações e proatividade:

  •   Se o custo com horas extras está excessivo, é possível planejar a reduções; 
  •   Caso alguma área apresente altos níveis de absenteísmo, imediatamente as causas são apuradas; 
  •   Se determinado dia da semana bate recorde de faltas e atrasos, medidas corretivas e preventivas devem entrar em ação.

Com um sistema seguro tudo isso pode ser percebido de uma maneira mais clara. Aliás, o próprio RH passa a ter um novo papel nas empresas, deixando de lidar somente com contratações e rescisões de profissionais. Portanto, o ponto eletrônico é essencial para auxiliar na produtividade.

2.     Maturidade digital

A maturidade digital consiste em resolver problemas de maneira rápida, encontrando soluções por meio de tecnologias que permitam pensar em boas respostas. Também representa a automação de rotinas, transformando atividades que antes eram feitas à mão em digitais. Mas, não é algo fácil de ser atingido.

O mundo mudou demais nos últimos anos, o que fazia sucesso na década de 2000 agora já é ultrapassado. E as empresas precisam perceber isso, devem buscar novas ferramentas capazes de tornar a gestão mais assertiva e dinâmica. Afinal, quando ficam paradas no tempo abrem brecha para a concorrência.

A maturidade digital é um conceito percebido em empresas que adotaram tecnologias de ponta e possuem equipes preparadas para fazer o uso destes sistemas. Entretanto, a cultura organizacional precisa passar por ajustes. Não dá para adicionar novos itens e manter o comportamento como antes.

Atingir este nível passa a ser mais fácil quando existe uma gestão de ponto eficaz. Hoje em dia existem sistemas perfeitos para garantir batidas precisas, transformando os dados marcados em relatórios completos. Por outro lado, em uma empresa que ainda não chegou lá, as avaliações podem ser manuais, o que deixa o negócio à mercê de problemas em função da falta de segurança jurídica.

3.     Eficiência operacional

Empresas que estão em busca da eficiência operacional precisam olhar para todos os processos que fazem parte do negócio. Para isso, é preciso buscar ferramentas inteligentes, capazes de tornar os processos menos burocráticos e mais ágeis. A tomada de decisão deve ser feita com base em informações verdadeiras.

A redução de custos e o aumento da produção estão diretamente ligados ao uso de sistemas para o registro de ponto eletrônico. Afinal, uma empresa que atinge a eficiência operacional passa a ter menos gargalos e torna suas atividades mais ágeis. Ao saber o horário exato de chegada e de saída dos colaboradores um problema é superado.

E-book Eficiência Operacional no RH

A eficiência operacional consiste em padronizar processos e evitar erros, melhorar a produtividade e conquistar os resultados desejados pelo negócio. Para chegar lá é essencial rever todos os processos internos, reparar aquilo que está dando errado e procurar soluções para as questões falhas.

O negócio que tem o objetivo de atingir esse patamar precisa enxugar ao máximo os desperdícios na cadeia produtiva. Neste momento, o RH precisa ter um papel participativo, permitindo que possam analisar o que está dando certo e o que precisa de ajustes. Então, os sistemas digitais são excelentes para auxiliar com isso.

4. Transparência nas relações de trabalho

A transparência nas relações de trabalho possui como característica principal uma boa comunicação entre os membros de determinada equipe. Dessa forma, as informações são tratadas de uma maneira livre. Os colaboradores, os gestores e o negócio como um todo saem ganhando com este conceito.

É algo que faz parte da cultura das empresas e que deve ser iniciado pela gestão de pessoas, onde o uso de ferramentas digitais é capaz de ajudar com isso. Assim, os líderes devem desempenhar um papel importante, estimulando os colaboradores a inovar. Também é essencial que os gestores estejam disponíveis para interagir.

O ponto eletrônico é interessante neste cenário, ainda mais quando os dados são tratados. Com o Pontoweb, por exemplo, existe um ambiente virtual personalizado, onde o colaborador acompanha seu espelho de ponto e holerite. Se houver necessidade de ajuste, pode justificar faltas e atrasos, além de publicar documentos e atestados.

Essa é uma maneira de aumentar a transparência entre os profissionais da empresa e a área de RH. De fato, quando os colaboradores sabem que as informações são verdadeiras, passam a atuar de maneira mais produtiva. Além disso, os processos trabalhistas diminuem e o engajamento aumenta.

5.     Redução de custos invisíveis

Existem diversos custos invisíveis que podem fazer parte de uma organização, sem que os gestores percebam. Em suma, são valores que não são percebidos em balanços e precisam de análises minuciosas para serem encontrados. O registro de ponto dos colaboradores, por exemplo, é capaz de evitar alguns destes gastos.

A falta de registro de ponto pode fazer a empresa perder dinheiro com as férias dos colaboradores. Conforme o artigo 130 da CLT, após 12 meses de trabalho, o profissional tem direito a 30 dias de férias, que podem ser corridos ou não. Mas, isso é válido somente para quem faltou cinco vezes ou menos ao longo do período aquisitivo.

Os profissionais que tenham faltado seis vezes ou mais ao longo de um ano possuem direito a apenas 24 dias de férias. Além disso, aqueles que tiverem entre 15 e 23 faltas podem ter no máximo 18 dias de descanso. Então, pode ser que exista na empresa algum profissional nestas condições, mas sem a batida de ponto, o RH não saberá desta questão.

Ou seja, a organização paga um profissional que recebe sem trabalhar todos os dias. A lei permite os descontos durante as férias, basta comprovar as faltas. Ou mesmo o colaborador pode chegar atrasado além do limite de 10 minutos diários e não sofrer os descontos previstos na legislação.

Por fim, os custos invisíveis podem ser percebidos na realização de horas extras indevidas. Muitas vezes o colaborador fica além do horário e os gestores só percebem ao fechar a folha de pagamentos ao fim do mês. Por outro lado, com o uso do ponto eletrônico essa condição é percebida antecipadamente.

Como escolher o melhor sistema de ponto eletrônico?

Agora você já sabe tudo o que envolve ponto eletrônico, desde a tecnologia embarcada até a legislação vigente. Aliás, nos próximos anos os softwares de ponto devem ganhar ainda mais espaço. Mas, como escolher um sistema de registro de ponto?

Pesquisar é essencial para acertar na seleção, porque existem muitas marcas fabricantes.. Em primeiro lugar, é necessário procurar por um aparelho que respeite as Portarias 1510 e 373 do MTE. Além disso, o aparelho precisa seguir as normas do INMETRO, evitando que a sua empresa seja penalizada.

Em seguida, avalie a tecnologia presente no dispositivo. O que é oferecido? Somente o relógio ponto ou algum software que faz o tratamento das marcações e entrega relatórios prontos? Lembre-se: esse é um investimento que fará total diferença no desempenho do seu negócio!

A Ahgora conta com diversas aplicações pensadas para facilitar a gestão de jornada dos colaboradores, além de automatizar a rotina do RH. Nosso DNA inovador está presente: 

  • Nas múltiplas formas de registro de ponto oferecidas, desde relógios eletrônicos até aplicativos de última geração;
  • Cumprimento das normas regulamentadoras e da legislação trabalhista; 
  • Nas tecnologias IoT e sistema em nuvem capazes de entregar informações em tempo real e acessadas de qualquer lugar; 
  • Uso de reconhecimento facial, credenciais de acesso e geolocalização para garantir a veracidade no registro de ponto;
  • Entrega de relatórios sobre o capital humano, fundamentais para auxiliar na tomada de decisões mais assertivas sobre o negócio; 
  • Automatização de rotinas do setor, capaz de aumentar a produtividade do RH, tornando-o mais estratégico.

Que tal aproveitar tudo o que a tecnologia tem a oferecer para o seu negócio? Conheça as aplicações da Ahgora e descubra como aproveitar na sua empresa todos os benefícios apresentados ao longo deste artigo. Agende um bate-papo com nossos consultores e empodere o seu RH!

Traga seu RH para o futuro com a Ahgora

Compartilhe

Leave your comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *