O cenário é uma grande empresa, com um amplo espaço e muitas estações de trabalho. Ao entrar pela porta, é possível ter no seu campo de visão dezenas de colaboradores. Já num primeiro olhar, dá para perceber que pessoas das mais diversas idades se dividem entre as tarefas. Esse é o quadro com o ingresso da Geração Z no mercado de trabalho

Esses jovens que a cada dia ocupam mais postos não vieram apenas para dividir o espaço com as gerações X e Y. Seus novos hábitos, característicos dos nativos digitais, estão influenciando diretamente as relações organizacionais

Quer saber como preparar a sua empresa para os impactos trazidos pela a Geração Z e o que esperar dessas mudanças? Leia, neste artigo. 

Como se comporta a Geração Z no mercado de trabalho? 

A Geração Z é composta pelos nascidos entre 1995 e 2010 e que, recentemente, entraram para o ambiente de trabalho. 

Uma das suas principais características é o fato de terem nascido utilizando a tecnologia e a Internet no dia a dia. Essa condição faz com que a sua visão da vida profissional seja muito diferente das gerações anteriores.

Gostam de flexibilidade no ambiente de trabalho, contestam o modelo tradicional de hierarquia e buscam um emprego com propósito.

A Geração Z prefere estar em uma atividade alinhada com os seus valores. E isso faz com que não coloque o salário no topo da lista de prioridade.

Quais são as características mais comuns aos integrantes da Geração Z? 

  • Conectados;
  • Inovadores;
  • Sociáveis;
  • Criativos;
  • Empreendedores;
  • Avessos a hierarquias;
  • Ansiosos;
  • Resistentes;
  • Exigentes;
  • Críticos;
  • Decididos;
  • Multitarefas;
  • Otimistas;
  • Abertos às mudanças;
  • Angustiados;
  • Desapegados.

Devem ser maioria em curto espaço de tempo

Segundo o levantamento da Organização das Nações Unidas (ONU), a Geração Z passa a representar neste ano a maioria da população mundial, com 32% do total. Isso faz com que se projete um futuro próximo, no qual ela supere os millennials no mercado de trabalho. 

Essa tendência foi confirmada por uma pesquisa realizada pela Forbes. Os nascidos a partir de 1995 serão quase 20% da força de trabalho nos Estados Unidos. Isso significa cerca de 61 milhões de pessoas.

Como se preparar para a chegada da Geração Z no mercado de trabalho? 

Olhando os dados, fica clara a necessidade das empresas se prepararem adequadamente ao perfil desses novos profissionais. Afinal, eles trazem consigo uma nova forma de pensar o mundo corporativo. 

Dessa forma, algumas atitudes podem fazer a diferença e tirar desses jovens a performance máxima que podem oferecer, utilizando seu jeito de ser para melhorar o negócio. 

Incorpore a tecnologia ao negócio 

Como vimos anteriormente, a Geração Z é a primeira nativa digital. Isso significa que vê os processos digitais com uma naturalidade nunca antes vista. E, além disso, faz com que a incorporação de tecnologias disruptivas, como soluções propostas por startups por meio de aplicativos, sejam ações altamente engajadoras para esse público. 

Um estudo realizado pela Dimensional Research a pedido da Dell Technologies com jovens entre 16 e 23 anos de 17 países mostra a relação entre tecnologia e Geração Z no trabalho. 

Entre os brasileiros, 85% deles demonstra desejo de trabalhar com o desenvolvimento ou implementação de novas tecnologias.

Os jovens ouvidos no país também apostam em recursos tecnológicos, como Big Data, para melhorar o ambiente no futuro. Segundo eles, dessa forma será possível alcançar contextos mais igualitários e justos, diminuindo a incidência de discriminação baseada em sexo, raça, orientação sexual ou idade. 

Tenha postura inovadora   

Embora a tecnologia possa ter um papel importante para o engajamento dos profissionais da Geração Z, algumas qualidades humanas são ainda mais valorizadas

Mais de 90% prefere dividir o espaço na equipe com alguém inovador do que ter uma nova tecnologia à disposição. É o que aponta uma pesquisa realizada pela Inc. E uma outra surpresa: 72% dos entrevistados alegou preferir a comunicação olho no olho.   

Pense com carinho em flexibilização

A flexibilização da jornada de trabalho é bastante valorizada por essa geração. Dificilmente ela se sente motivada atuando em parâmetros mais rígidos. A possibilidade de trabalhar em horários flexíveis e home office são ainda opções a serem consideradas.  

Um artigo publicado pelo MIT Sloan School of Management reitera essa mesma informação. Nele, foram elencados os benefícios prioritários no momento de escolher um emprego. Para quem imaginava a descontração do ambiente, que é popular no Vale do Silício, o resultado pode surpreender:  

  1. Horários flexíveis (88%);
  2. Bônus (77%);
  3. Plano de saúde (69%);
  4. Academia ou creche (38%);
  5. Trabalho voluntário durante o expediente (31%).

Esteja preparado para conflitos de gerações

Você se lembra do cenário que descrevemos lá no começo do artigo? Pode ter certeza que três gerações convivendo juntas exigem boas práticas para se manter alinhadas. 

A chegada da Geração Z no mercado de trabalho do futuro – e mesmo no presente – precisa de um esforço consciente do RH para que a integração seja plena. Entre as iniciativas mais indicadas, podemos citar: 

  • Estimular o trabalho em grupo, atuando com um objetivo em comum;
  • Capacitar as lideranças, incentivando a troca de valores e conhecimento;
  • Oferecer um ambiente de liberdade de criação e de trabalho diário;
  • Criar rotinas de feedback para antecipar e/ou evitar a geração de conflitos. 

E você, já desenvolveu ações concretas para adaptar seu ambiente à chegada da Geração Z no mercado de trabalho?

Compartilhe