A semana de quatro dias consiste, literalmente, na redução da jornada de trabalho semanal. No Brasil, a lei determina que são 44 horas semanais de trabalho, de segunda a sexta-feira, ou sábado. Neste caso, os profissionais passam a trabalhar somente quatro dias por semana.

Diversos testes estão sendo feitos mundo afora, principalmente na Islândia, Espanha e Nova Zelândia. A ideia é permitir que os profissionais possam ficar um dia a mais sem ir ao trabalho, ou atuar em home office. Assim, podem descansar por mais tempo consecutivo.

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) estabeleceu regras para contratações e períodos de jornadas, entre muitos outros fatores. Também determinou o tempo de trabalho semanal no Brasil. Contudo, com o passar dos anos novas ideias vão surgindo, como, por exemplo, a semana de quatro dias.

Esse ainda é um tema recente em nosso país e de certa forma, no mundo todo. Por isso, talvez você ainda não tenha ouvido falar no tema e aqui vai entender todos os detalhes sobre esse novo formato de trabalho, que já vem conquistando adeptos. Confira a seguir todos os detalhes sobre o tema e como o RH pode auxiliar nesta mudança!

O que diz a lei sobre a semana de quatro dias?

Esse é um assunto muito novo e não há nada na legislação brasileira que fale sobre o tema. A CLT determina que a jornada de trabalho é de 44 horas semanais, sendo de 8 horas por dia e mais quatro, normalmente aos sábados. Além disso, os profissionais podem fazer até 2 horas extras por dia.

Entretanto, a Reforma Trabalhista flexibilizou as relações de trabalho e permitiu negociações entre empregados e empregadores. Sendo assim, é possível que exista um acordo, seja individual ou coletivo, para adotar outra alternativa de horários. Então, seria possível adotar a semana de quatro dias, de acordo com o que for melhor para o negócio e a força de trabalho.

Basicamente, a lei impede apenas que a jornada de trabalho seja maior do que 44 horas semanais. Por outro lado, não há nenhum impedimento para ser menor do que isso. Assim, é uma definição que depende das empresas, em relação a colocar ou não esse novo modelo em prática.

Banco de horas é uma possibilidade para a jornada de quatro dias

O banco de horas é uma das maneiras mais interessantes de economizar recursos nas empresas. Em alguns casos é necessária a realização de horas extras, para que a força de trabalho consiga atender as necessidades de produção. Neste caso, o pagamento não precisa ser mensal.

A lei determina que o colaborador tem até 1 ano para converter as horas adicionais em períodos de descanso. No caso da semana de quatro dias, uma das ideias possíveis é que a jornada de trabalho diária seja de 10 horas. Ou seja, a soma de trabalho seria de 40 horas semanais.

Então, os trabalhadores poderiam prestar serviço por um dia a menos, já que trabalhariam mais nos outros dias. Essas 2 horas adicionais trabalhadas a cada dia podem ser convertidas em banco de horas e pagas todas as semanas. Basta que exista um acordo entre colaboradores e empregadores e que o setor de RH oriente todos da melhor forma possível.

LEIA TAMBÉM: Como fazer e por que montar o seu banco de horas

Empresas podem reduzir o salário dos colaboradores?

Sim, mas não é o adequado. Para isso acontecer o sindicato da categoria precisaria ser acionado. Fora isso, a empresa pode reduzir a jornada dos profissionais sem necessidade de permissão. Ou seja, desde que o salário seja mantido, o período de trabalho pode ser encurtado.

A semana de quatro dias de trabalho foi testada na Islândia, com 2,5 mil trabalhadores, o que é equivalente a 1% da população do país. Os testes aconteceram entre 2015 e 2019 e não reduziram o valor de salário pago a esses trabalhadores. Conforme os pesquisadores, a produtividade continuou a mesma ou melhorou na maioria dos locais avaliados.

No caso da contratação de novos trabalhadores seguindo a ideia de redução na jornada, com um dia a menos de trabalho e salário menor, não é necessário consultar os sindicatos. Em suma, é preciso que apenas os contratos de trabalho vigentes sejam reavaliados.

5 vantagens da semana de quatro dias nas empresas

Essa modalidade de jornada de trabalho ainda não é muito conhecida e causa várias dúvidas, principalmente porque não está prevista na legislação trabalhista. Em boa parte dos estudos realizados até hoje, os resultados foram positivos. As empresas percebem melhorias ao aplicar esse novo formato.

Com o passar dos anos e das décadas, novas modalidades de trabalho vão surgindo, como as atividades home office, por exemplo. Assim como surgem novos modelos de escalas e jornadas de trabalho, e esse é um deles. Confira agora 5 vantagens da semana de quatro dias nas empresas:

1.     Mais produtividade

Um dos maiores benefícios é o aumento na produtividade. Conforme dados da Society for Human Resource Management, 60% das empresas que adotam esse estilo de trabalho perceberam uma melhora no desempenho dos colaboradores. E isso se dá por uma série de questões ligadas aos trabalhadores.

Eles passam a ter mais tempo consecutivo para ficarem em suas casas, possibilitando um equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal. Além disso, é algo que fomenta o engajamento dos trabalhadores, o que por si só é uma das vertentes para a ampliação na produtividade dos profissionais.

2.     Menos custos

As empresas que adotarem a semana de quatro dias de trabalho podem perceber uma economia nos custos mensais. A pesquisa da Society for Human Resource Management destaca ainda que os gastos passam a ser menores em relação ao uso de eletricidade, e materiais comuns nos escritórios, como as impressões.

A economia de energia elétrica acontece justamente porque a empresa funciona um dia a menos por semana. Além disso, quando os trabalhadores retornam ao serviço, após os dias de descanso remunerado, normalmente ficam mais dispostos e isso evita outros prejuízos. Eles também podem contribuir com ideias para melhorar os serviços.

3.     Bem-estar dos colaboradores

Pesquisas indicam que os trabalhadores vivenciam uma melhora na qualidade de vida ao atuarem na semana de quatro dias. Eles passam a ficar menos tempo nos computadores, o que pode ser cansativo e repetitivo para alguns. Assim como passam a ter mais horas livres para ficarem em casa ou passear.

Essa questão está relacionada diretamente com a ampliação na produtividade. Uma empresa escocesa adotou esse novo modelo de trabalho, percebendo um aumento de 13% em suas vendas, já que os trabalhadores passaram a ficar mais felizes. Então, uma coisa leva a outra e proporciona mais benefícios.

4.     Menos faltas no trabalho

Diminuir um dia na jornada de trabalho pode fazer com que o número de faltas seja reduzido também. Com mais tempo para ficarem próximos de seus familiares e amigos, o descanso passa a ser ampliado e isso contribui para melhorar os índices de assiduidade.

Aliás, uma das atividades do RH é identificar o grau de satisfação dos colaboradores em seus cargos atuais. O cansaço acumulado é um dos motivos para aumentar as faltas. Mas, ao conceder um dia a mais para ficarem longe das atividades laborais, é possível superar essa questão.

Há mais tempo disponível para que os profissionais possam se recuperar do trabalho, o que ajuda a diminuir o número de licenças médicas. Em seguida, esses trabalhadores podem voltar ao serviço preparados para encarar as atividades da melhor forma possível.

5.     Mais engajamento

Esse aqui é um benefício que serve como um resumo de todos os outros juntos. Proporcionar flexibilidade aos trabalhadores é algo que ajuda a ganhar a confiança deles, fazendo com que vistam a camisa, aliviando o estresse e rendendo mais quando estão à disposição da empresa.

O engajamento faz com que eles possam render mais e se dediquem no trabalho. Além disso, são capazes de encontrar soluções e melhorar os rendimentos do negócio. Então, é um benefício interessante, desde que os funcionários não fiquem sobrecarregados nos quatro dias de trabalho. 

Avalie o cenário ao adotar a semana de quatro dias em seu negócio

Antes de adotar esse modelo o ideal é pesquisar bastante sobre o assunto, entendendo os prós e contras dessa aplicação. Em seguida, testes podem ser feitos, avaliando o cenário e percebendo se é positivo ou não. Assim, a aplicação poderá ser feita, caso seja considerada interessante.

Um dos pontos importantes para o sucesso na adoção da semana de quatro dias é o uso de softwares para registrar a jornada de trabalho. No caso de usar o banco de horas, por exemplo, somar as horas extras diárias de maneira automática é o ideal. Ainda mais que elas são descontadas todas as semanas, assim o sistema trabalha por conta quanto a isso.

Aqui na Ahgora você encontra sistemas para facilitar a gestão de pessoas, seja de maneira presencial, remota ou externa. Nossos softwares contam com tecnologia IoT, armazenamento em nuvem e machine learning, fazendo com que o RH tenha dados estratégicos na palma da mão. Clique para conhecer nosso ecossistema.

Compartilhe

Leave your comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *